RSSFacebookTwitter YouTubeInstagramPinterest





10 erros comuns na trilha e camping

Os iniciantes no trekking costumam cometer os mais diversos tipos de erros, em geral por não saber a importância de um determinado tipo de equipamento ou de uma técnica qualquer. As coisas vão desde esquecer ou não saber de algum item importante – como isolante térmico – até casos mais graves, como se perder e não saber se orientar. Essa lista mostra 10 erros comuns na trilha e camping que você verá aqui é uma compilação de alguns do deslizes que acontecem com iniciantes e até trekkers mais experientes um pouco..

10 erros mais normais no camping e na trilha

1. Não usar certos itens na trilha e no camping

Alguns itens são muito importantes para a segurança individual, por mais que muitos não notem isso. É normal vermos pessoas abrindo mão do saco de dormir e até mesmo isolante térmico por acharem não precisam de nenhum deles. O mais comum é o isolante térmico, um item barato que pode ser comprado por cerca de 30 reais (modelos de EVA) e que é fundamental para isolar o frio que passa do chão para o corpo durante a noite na barraca.

Outros itens menores como protetores solares e labiais, repelentes, bonés e óculos escuros são em muitos casos deixados pra trás, e nem todos se dão conta de que em algumas situações eles são importantes, como por exemplo, em trilhas e travessias que cortam regiões de praia ou que estão muito expostas ao sol.

2. Errar na quantidade de comida ou água. Cozinhar perto ou dentro da barraca.

Quantidade de água e de comida são dois erros bem comuns na etapa de planejamento. No caso da comida é um pouco mais fácil, planeje o que você comerá em cada refeição ao longo de um dia e calcule a quantidade para o tempo que a sua aventura deve levar. Sempre leve comida a mais, um pouco, sem exageros. Assim você evita ficar sem comida caso se perca. Outro erro comum com relação a comida diz respeito ao tipo de comida levada. Não leve nada perecível demais, como presunto, maionese, queijos que não sejam defumados, frutas moles (fora de embalagens de proteção), ovos (é possível levar mas precisam ser consumidos rapidamente), leite (prefira o em pó), enlatados e conservas (além de muito sódio eles pesam e geram lixo volumoso na mochila)…

Já com a água temos uma situação mais delicada, podemos ficar sem comer por algum tempo mas sem água não resistimos muito. O X da questão com a água é que você precisa calcular a quantidade dela para todo o deslocamento e para o uso em cozinha quando não existir opção segura de abastecimento ao longo do percurso. Caso existam fontes seguras ao longo do caminho você pode reduzir o volume de água na mochila, mas preferencialmente mantenha sempre uma quantidade de 2 a 3 litros de líquidos na mochila para trilhas de um dia inteiro. Trilhas mais expostas, com dias de sol forte e com trechos mais íngremes irão pedir mais água, por isso se mantenha dentro do padrão de 2 ou 3 litros.

Outro erro que pode terminar em acidente é cozinhar dentro da barraca ou em avanços curtos – ainda mais com o uso de espiriteiras e com pessoas desastradas. Prefira sempre cozinhar um pouco afastado da barraca evitando incidentes com derramamento de combustível ou com o contato da chama com o material da barraca – por mais que algumas tenham tecnologia anti-chama. Nunca cozinhe dentro da barraca, já que muitos materiais usados nos equipamentos de camping costumam ser de fácil combustão – o que inclui casacos e fleeces, então cuidado com as mangas e retire as luvas ao manusear o fogareiro.

3. Não levar um kit básico na mochila em qualquer trilha

Não importa se é uma trilha normal que você já conhece bem ou mesmo uma trilha nova – longa ou curta – sair por aí implica em ter alguns itens básicos na sua mochila, são eles:

– Anorak
– Água
– Comida/lanches
– Mapa, bússola e/ou GPS
– Canivete, fósforos ou isqueiro
– Lanterna de cabeça com pilas e pilhas extras
– Telefone celular carregado
– Apito
– Kit de primeiros socorros e remédios de uso diário

Dessa lista o apito merece uma explicação. Ele é um item simples que permite a propagação do som por uma boa distância, sendo funcional quando você se perde e precisa chamar atenção. Um item barato que você pode comprar facilmente e que em muitas mochilas mais recentes vem acoplado na presilha da fita de peito.

Uma dica extra: roupas, mochilas e bonés com cores mais vibrantes são ótimos para facilitar a localização de pessoas perdidas, especialmente a cor laranja. Ela tem uma ótima visibilidade mesmo em longas distâncias.

4. Se descuidar com o frio, vento ou chuva

“Ahhh eu aguento” – em geral é com esta frase que algumas situações de incidente começam. Justamente quando alguém deixa de usar um anorak em situações de vento e chuva ou mesmo roupas térmicas em locais de temperatura mais baixa. O mesmo vale para as vestimentas ao dormir – nunca deixe de proteger a cabeça com gorros, as mãos e pés e os ouvidos.

Use o saco de dormir certo para a temperatura do local e se necessário durma com seu fleece e com camadas de calças. Uma dica boa e funcional para aquecer um pouco mais as pernas é “vestir” a mochila nelas. Esvazie a cargueira e coloque as pernas para dentro, funciona muito bem nas situações onde você precisa de mais aquecimento e não tem outra opção!

DICA: Artigo – O básico sobre os casacos para uso outdoor.

5. Montar a barraca de forma errada ou no lugar errado

Duas coisas são fundamentais para a sua barraca funcionar corretamente em caso de chuva: ela estar montada corretamente (usando todos os pontos de especagem, com o sobreteto bem esticado e afastado da estrutura interna da barraca), e ter sido montada em um local adequado (evite acampar em áreas baixas que podem ser alagadas em situação de chuva forte, fuja dos veios naturais de escoamento da água quando for possível identificar isso no terreno, fuja das trilhas de formigas e evite acampar próximo a rios e cachoeiras – já que cheias repentinas podem acontecer em caso de chuvas fortes.

Barraca quebrada

Para resistir ao vento a sua barraca precisa estar especada corretamente. Para ampliar essa resistência é necessário usar o maior número possível de espeques e cordinhas disponíveis na sua barraca. Além disso evite montar sua barraca em áreas de vento forte sem algum tipo de proteção, em situações assim até moitas de capim já ajudam a evitar que o vento bata diretamente na barraca.

DICA: Aprenda mais detalhes que vão lhe ajudar na montagem da sua barraca.

6. Desrespeitar o espaço coletivo e as capacidades individuais de cada um

Esse é um problema que acontece até em grupos com guias pagos e que além de chatear pode colocar a segurança de uma ou mais pessoas em risco. Já vimos muitos grupos gritando pela montanha, cantando músicas aos berros a noite na área de camping, guias disparando na frente sem levar em conta o preparo físico fraco de alguns integrantes do grupo que ficavam para trás…

As soluções são bem simples: respeite as regras do local, não grite ou use som alto no camping ou na trilha e não saia correndo na trilha deixando outras pessoas do grupo pra trás. Só com essas pequenas regras você já garante uma boa diversão e uma boa integração com outros grupos – sem atrapalhar a trip de ninguém.

7. Abandonar o lixo no meio do caminho, descuidar da comida na barraca, fazer fogueiras e lavar louça em rios, cachoeiras ou córregos

Não deixe rastros, essa é uma regra básica. E isso significa não deixar lixo algum ao logo do caminho ou nas áreas de camping; não usar sabão ou lavar louça em nascentes, rios, cachoeiras, etc; não fazer suas necessidades no meio da trilha e NUNCA a menos de 60 metros de rios, nascentes e áreas de camping. Com relação as fezes, o correto é enterra-las em um buraco com 15cm de profundidade. E traga seu papel higiênico de volta!

Outra questão polêmica se refere às fogueiras. Não faça fogueiras e não corte vegetação, essa é a regra principal. Caso seja necessário fazer fogo, por questões de sobrevivência principalmente, escolha um local limpo, sem vegetação por perto e use como lenha ganhos secos caídos pelo local. Em áreas onde a prática é mais comum sempre prefira usar pontos de fogueira já existentes, não crie novos pontos. E ao deixar o local tenha certeza de que o fogo está apagado. Lembre-se, em parques nacionais e outras unidades de conservação fazer fogueiras é considerado crime ambiental.

Descuidar da comida, seja dentro da barraca, ao redor dela ou panelas e pratos sujos irá atrair animais para próximo da sua barraca, em certas situações esses animais podem chegar a danificar a sua barraca ou mesmo atacar alguém na tentativa de pegar aquela comida. Quando estiver na barraca mantenha a comida fechada em sacolas e até dentro da mochila se achar necessário. Limpe as panelas e pratos com papel higiênico, toalha de papel ou esponja. Esse macete para limpar a panela e os pratos funciona muito bem quando se tem pouca água e quando eles não estão sujos demais. Caso não seja possível limpar sua panela assim faça o seguinte: pegue um pouco de água, se afaste de rios e afins, remova a sujeira mais grossa e separe-a em um saco de lixo, lave a panela normalmente com sabão biodegradável e elimine a água na terra mesmo – não deixe restos de comida no terreno, ainda que pequenos.

DICA: Veja quais são os princípios básicos de conduta consciente em ambientes naturais.

Trilha cheia de lixo

Lixo na trilha (foto: tripwow.tripadvisor.com/tripwow/ta-00da-3650-f34f)

8. Desrespeitar as condições climáticas

Não saia em situações de tempestade iminente ou com previsões de tempestades se aproximando, principalmente quando o destino é alguma região descampada de praia, cumes de montanha ou campos abertos. Lembre-se a tempestade passará e o destino continuará lá, então evite entrar numa situação de emergência.

DICA: Veja como se proteger em situações de tempestade com raios.

9. Não ter um kit de primeiros socorros na mochila

Tenha sempre um kit de primeiros socorros na sua mochila, mesmo em trilhas menores. No link abaixo você vê alguns artigos com dicas para montar seu kit e para socorrer alguém se necessário.

DICA: Artigos sobre o kit de primeiros socorros e sobre como agir em diversas situações.

First aid

10. Não ter ou não saber usar um mapa, bússola e GPS

Não saber usar ou mesmo não ter um equipamento de orientação, como um mapa e bússola ou um GPS, pode ser a diferença entre sair de uma situação de desorientação ou permanecer perdido. Portanto sempre tenha com você algum equipamento de orientação, principalmente em trilhas desconhecidas ou que apresentem alguma dificuldade de orientação maior. E evite sair para trilhas sozinho. Sempre deixe seu roteiro detalhado com alguém, bem como a previsão de retorno.

DICA: Aprenda a usar a bússola e o mapa nesta série de artigos sobre orientação básica.


Leia também

Rotas 3D – GPS Tracklogs e Google Earth

Se você tem dificuldades para planejar o roteiro de uma viagem ou o percurso de uma trilha esse texto vai

Proteja-se do frio – use camadas

Hipotermia, ou seja, temperatura do corpo baixa demais (com congelamentos de extremidades e afins) é um mal comum em determinadas

Caminhar com mochilas cargueiras

Este texto do Mario foi publicado no jornal “Mountain Voices” na edição #131, Maio de 2013 – página 08, e

Mario Nery

Mario Nery

Trekker, montanhista e mochileiro, pratica esportes outdoor desde 1990. Apaixonado por equipamentos, fotografia, cerveja e tecnologia. Formado em TI, atualmente trabalha na área mídias sociais/marketing digital. Siga o Trekking Brasil no Twitter: @trekking


2 comentários

Deixe sua opinião
  1. Ilson
    Ilson 15 julho, 2014, 13:27

    Demais leitores, sigam estas regras!! É o mínimo. E obrigado pelo artigo, esclarecedor.

    Responda este comentário

Deixe a sua opinião