RSSFacebookTwitter YouTubeInstagramPinterest





Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Texto e fotos: Elque Silva e Jefferson Almeida

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é um parques nacionais onde o visitante não paga a entrada. A recepção fica aberta das 08:00 as 12:00 (limite 300 pessoas) e a permanência é permitida até as 18:00. O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no nordeste do Estado de Goiás, entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e Colinas do Sul. A entrada fica no distrito de São Jorge, no município de Alto Paraíso.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

O Parque pode ser visitado durante o ano todo, mas no período das chuvas, entre novembro a abril, algumas trilhas ficam fechadas. O período de estiagem, de maio a outubro, é a melhor época para visitação. Tivemos sorte em ter apenas um dia de chuva rápida durante os 7 dias que ficamos lá.

Para chegar o caminho mais fácil é por Brasília. Não há ônibus para Alto Paraíso de Goiás (existe uma empresa que faz Brasília x Alto Paraíso, mas com apenas 3 horários ao dia) ou Vila de São Jorge. Pode-se alugar um carro (o que é vantagem para os passeios), entrar nos grupos de carona solidária ou, como fizemos, contratar um frete de particulares. Todas as estradas estão asfaltadas.

Para essa aventura contei com meu amigo Jeff. E tudo começou quando embarcamos em São Paulo com destino à Brasília.

Congonhas para Brasília

Chegando lá nos deparamos com o problema dos horários de ônibus, sairia um somente as 22:00 e nós chegamos por volta das 14:00 em Brasília. Se esperássemos perderíamos um dia de trilhas. Ligamos para um dos telefones dos “fretes” que encontramos em um site. O dono da frota, Nildo, fechou o transporte até Alto Paraíso por R$140,00, o município fica a 245km ou 3hs de carro do Distrito Federal. Chegando em Alto Paraíso o próprio motorista fechou o frete (Edson) para São Jorge por R$ 80,00 (mais 30 minutos de carro). Na volta fizemos um frete (João) direto para Brasília com mais 2 turistas por R$ 175,00.

Optamos ficar em São Jorge, pois a entrada do Parque fica a 1km do centro da vila. É um lugar simples, ruas de terra, clima de interior e ótima culinária. Fins de semana e feriados lota, mas fora desses dias é muito tranquilo. Mosquitos de todos os tipos existem por lá – não esqueçam o repelente. Ficamos no Camping Dourado, ótimo atendimento, barato e com wi-fi, um diferencial para nós que postamos fotos e dicas nas redes sociais do TB. E por falar em dicas final do texto eu colocarei todas elas junto com os contatos que usamos.

Camping Dourado

Todas as trilhas estão em propriedades particulares, exceto as do Parque, e isso faz com que muitas sejam pagas. Os valores variam de R$15,00 a R$20,00 (base: janeiro de 2015).

Dentro do PNCV existem 4 trilhas: Travessia das Sete Quedas (pode necessitar de guia e pernoite no parque), Trilha dos Saltos, Trilha dos Cânions e Trilha da Seriema. Das quatro, fizemos duas: Trilha dos Cânions e Trilha dos Saltos.

Trilha do Cânion 2 (Cânion 1 só abre na estiagem)

Duração média da trip: 5hs
Melhor época do ano: maio a outubro
Classificação: médio (terreno pouco acidentado, pontes, alguns pontos de sombra e poucas subidas)

Canions 2

Trilha Canion

Piscinas naturais

Piscinas naturais Canion 2

Trilhas dos Saltos e Corredeiras

Duração média da trip: 5hs
Melhor época do ano: ano todo
Classificação: médio (terreno muito pedregoso, quase em sombra e com uma subida íngreme)

Salto 120m

Salto de 80m

Trilha para Corredeiras

Corredeiras

A paisagem do Cerrado é muito singular em comparação aos demais tipos de vegetação do Brasil. As trilhas são muito bonitas e com poucos trechos de sombra. Uma atenção especial para a flora e a fauna e também muito cuidado com o sol e o calor. O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros era um antigo garimpo e ainda é possível ver traços da extração de cristal de quartzo.

Todas as trilhas são muito bem sinalizadas, cada trilha tem setas de uma cor específica e as setas brancas indicam a saída, assim não há necessidade de guia (apenas para a Travessia das Sete Quedas – sem agendamento prévio – neste caso é obrigatória a presença do guia. Com agendamento antecipado ou fazendo a travessia sem pernoite é possível ir sem a presença de um guia local – informações em: http://www.icmbio.gov.br/parnachapadadosveadeiros/guia-do-visitante.html).

As piscinas e as quedas d’água são os grandes atrativos. A água estava bem gelada, mas era perfeita para o clima quente de janeiro.

Sinalização das trilhas

Setas brancas saida

Piscinas Naturais

Dicas e contatos:

Não deixem de provar os produtos com as frutas do cerrado (mangaba, cagaita, murici, curriola, pequi, buriti, jenipapo e outros), pão de abóbora, castanha de baru, salgadinhos gergeliko e a Matula – carne de lata (conservada em banha de porco), feijão,arroz e legumes. Comida típica dos tropeiros.

Transporte (fretes particulares) – melhor ligar antes e já deixar tudo agendado (valores de janeiro 2015 para 2 pessoas)
Nildo – 61 9616-1212 / 62 9639-3141 (Brasília x Alto Paraíso) R$ 140,00
Edson – 61 9234-3400 (Alto Paraíso x Vila de São Jorge) R$ 80,00
João – 62 9666-1007 / 61 9642-2195 (Vila de São Jorge x Brasília) R$ 175,00

Camping Dourado: 62 8107-5248 Rua 1 Qd 1 LT 10
Ótimo atendimento, barato e wi fi (chão um pouco duro para specks, mas nada que uma “pedra martelo” não resolva)

Restaurante Buritis: Rua 12 Qd 11 LT 6 (rua da entrada do Parque)
Rodízio de massas excelente, com ótimo preço e com direito a repetir.

Dragão Gelado: Rua 6 Qd 4 LT 4
Ótimo atendimento. Sorvete de castanha de baru e quitutes vegan.

Waldomiro: Estrada para São Jorge, perto da Pedra da Baleia.
Único lugar que serve a matula. Lugar muito simples, rústico até, ótimo preço, com licores, cachaças e sucos com frutas da região.

Waldomiro matula

Quer saber mais? Acesso o link ICMBio


Leia também

Da trilha para a casa da boêmia carioca…

Tem dias que são diferentes, e muito diferentes dos outros. O domingo passado foi assim. Eu e a Dani resolvemos

Expedição Patagônia – Partes 2 e 3 – Attitude Riders

Mais dois episódios da trip desses brasileiros por alguns dos pontos mais conhecidos da Patagônia!! Confiram os vídeos!

Um encontro no Refúgio Kalapalo – Gonçalves, Minas Gerais

Uma casa em meio a um mundo de araucárias, duas cadelas, frio, pessoas fantásticas, muita diversão e bons papos. Se

Elque Silva

Elque Silva

Apaixonada pelas coisas boas da vida: montanhas, trilhas, aventuras, viagens e amigos. Trabalha na área de Administração. Me siga no Twitter: @elquetrekking


6 comentários

Deixe sua opinião
  1. Jayme Queiroz
    Jayme Queiroz 22 Janeiro, 2015, 23:04

    Não há obrigatoriedade de guia para fazer a Travessia das Sete Quedas. A única obrigatoriedade eh agendar a travessia e preencher um termo de responsabilidade.

    Responda este comentário
  2. Eulália Silva
    Eulália Silva 24 Janeiro, 2016, 06:38

    Amei seu post! Super detalhado. Estava pensando em ficar em alto Paraíso, mas acho que vou para São Jorge por causa da entrada do Parque. Valeu mesmo!

    Responda este comentário

Deixe a sua opinião