RSSFacebookTwitter YouTubeInstagramPinterest





Parque Nacional do Caparaó – Parte 2

Segundo dia no Caparaó, uma terça-feira, acordamos por volta das 02:00 da manhã e às 02:30 estávamos do lado de fora do abrigo com nossas mochilas de ataque, headlamps, gps e rádios de comunicação e afins, para começarmos o ataque ao Pico da Bandeira e na continuação irmos até o Pico do Calçado e o Pico do Cristal.

Esse seria o dia mais interessante da trip para muitos, já que estávamos saindo para fazer três montanhas que estão na lista das dez mais altas do país.

mapa-caparao2

A imagem acima mostra uma idéia do nosso roteiro do dia. Partimos do Terreirão rumo ao Bandeira e depois passamos pelo Calçado Mirim, Calçado e finalmente o Pico do Cristal, e fechamos o ciclo seguindo novamente até o Terreirão.

Começamos a trilha em um ritmo moderado e as pessoas foram definindo suas posições ao longo da caminhada, alguns puxavam um ritmo mais forte na frente e outros iam mais devagar. A trilha pro Pico da Bandeira é bem aberta e sinalizada constantemente por marcas e setas amarelas pintadas nas rochas, quando este recurso não está disponível existem estacas com a ponta amarela sinalizando o caminho. Em muitos pontos a trilha apresenta bifurcações, mas todas são desvios da rota original que depois de alguns metros voltam a encontrar a trilha principal que leva até o Bandeira.

Duas dicas são importantes nesta trilha: leve água suficiente – não vimos pontos de água durante o caminho; e prepare a sua mochila com roupas de frio, principalmente luvas, gorro, casaco de fleece e um anorak. Esse material será usado principalmente durante o tempo que você irá passar no alto do Pico da Bandeira, lá em cima venta muito e como você estará parado a sensação térmica será de uma temperatura menor do que aquela que realmente está fazendo. Quando nós saímos de manhã a temperatura estava na faixa dos 7 ou 8 graus. No topo do Bandeira ela chegou a 6 graus, mas o vento forte criava uma sensação de temperatura menor do que isso.

DSCF4336

Como o nossa intenção era fazer as três montanhas em um único dia levamos fogareiros, combustível e um kit de alimentação com itens para um almoço rápido – em geral macarrão instantâneo e sopas. A alimentação mais calórica era consumida na parte da noite, para repor definitivamente o que foi perdido durante as caminhadas. Essas refeições noturnas eram basicamente compostas de kits da Liofoods.

A caminhada até o Bandeira foi tranquila e fizemos o trecho com calma em cerca de 2 horas e 30 minutos. Ficamos um bom tempo lá em cima esperando o sol nascer já que não sabíamos exatamente se o sol iria nascer as 05:20 ou 06:20. Ele escolheu a segunda opção e nós ficamos um tempo extra lá no cume, o que foi bom, pois conseguimos ajustar as câmeras sem pressa e olhar a vista das outras montanhas enquanto o sol ensaiava seus primeiros raios. Hora de ajustar as câmeras e começar a fotografar o espetáculo que estava por vir.

7326e00
Eu esperando o sol despontar, foto da Carol Emboava

DSC00039
Lá vem o sol… Foto: Renan Cavichi do Blog Piá Ventura

Ficamos um bom tempo lá no alto fotografando, fazendo vídeos e batendo papo. O vento estava bem forte naquela manhã ensolarada. Mas logo depois na descida do Pico da Bandeira rumo ao Calçado já estávamos tirando as camadas externas de roupas – anoraks e fleeces – e caminhando de segunda pele ou blusa sob de um sol forte e sem ventos. Mais alguns minutos de caminhada – uns 50 minutos em um ritmo calmo – e estávamos no cume do Pico do Calçado.

DSCF4377 DSCF4404
Na esquerda a vista das montanhas que ficam abaixo do Bandeira, no Espírito Santo. Na direita a vista do Pico da Bandeira a partir da trilha que vai até o Pico do Calçado

A trilha até o Calçado é tranquila e bem simples, sem apresentar nenhum problema de orientação. Já a saída do Pico do Calçado para o Pico do Cristal merece uma certa atenção, tanto na saída do Calçado quanto na chegada ao Cristal. A saída do cume do Calçado acontece por uma encosta rochosa onde existe um pequeno risco de acidentes para quem não prestar atenção no que está fazendo, após esse trecho a orientação continua simples, basta seguir na direção do Cristal e subir até o início da base da montanha, onde será necessário fazer uma escalaminhada para atingir o topo. Essa pequena escaladinha acontece sem equipamentos de proteção e mesmo não sendo nada tão complicado ela pede uma boa dose de cuidado.

DSCF4408
Vista do Cristal a partir do cume do Calçado, a trilha sai de um ponto mais a esquerda da foto e segue pelo vale abaixo em direção ao Cristal

DSC09133
Trecho da escalaminhada da chegar no cume do Cristal, bastante atenção neste trecho

O visual do cume do Cristal é muito bonito, principalmente por que é possível ter uma boa idéia do caminho percorrido no dia e também apreciar uma vista imponente do Pico da Bandeira. Lá no Cristal é outro ponto onde venta bastante.

A descida acontece pela crista oposta a que foi usada para chegar ao cume e não apresenta dificuldades. No final desta dela existem duas possibilidades de orientação para chegar ao vale mais abaixo: é possível seguir em frente e descer um trecho bem inclinado ou fazer uma descida pela lateral esquerda da crista e sair no fundo do vale. Essa descida pela esquerda está marcada por vários tótens de pedras empilhadas, o problema é que este trecho tem uma vegetação fechada o que atrapalha bastante a caminhada (em muitos pontos a trilha simplesmente não existe). Se for possível desça direto pela frente da crista, até atingir o vale mais abaixo, depois é só atravessar o rio e subir pelo meio do vale até o Terreirão. O tracklog que estava carregado no GPS de uma das pessoas do grupo nos levou pelo pior caminho possível, descemos pela encosta da esquerda e subimos uma das paredes laterais do vale, dando uma volta desnecessária e que na verdade estávamos vendo que não era a melhor opção, mas como estávamos com o GPS acabamos seguindo o aparelho, portanto fica a dica… Devido a este problema da rota chegamos no abrigo por volta das 17:30 da tarde, já com o sol se pondo.

O dia foi bem cansativo, mas alguns ainda tiveram a coragem de enfrentar o banho frio dos chuveiros do Terreirão na volta.

Depois do nosso primeiro dia oficial de trilha, bem longo diga-se de passagem, nos restava descansar e nos preparar para a jornada do dia seguinte, uma volta leve rumo ao Vale Encantado e as suas piscinas naturais. Afinal de contas depois de tanto tempo fora do abrigo e depois de tanto perrengue tínhamos que relaxar um pouco… No próximo relato falarei do Vale Encantado e da preparação para a Pedra Roxa, uma montanha que não tem trilha e que fizemos com a navegação praticamente no visual.


Leia também

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Texto e fotos: Elque Silva e Jefferson Almeida O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é um parques nacionais onde

Trekking na Ilha Grande

Mais uma chance para viajar e lá fomos nós, mochila nas costas e um destino escolhido – Ilha Grande, no

Expedição Patagônia 5 – Patagônia Verde – Por Keisuke Kira

Nota do Editor: esta é a quinta parte de um total de 6 artigos relatando uma trip feita por Keisuke

Mario Nery

Mario Nery

Trekker, montanhista e mochileiro, pratica esportes outdoor desde 1990. Apaixonado por equipamentos, fotografia, cerveja e tecnologia. Formado em TI, atualmente trabalha na área mídias sociais/marketing digital. Siga o Trekking Brasil no Twitter: @trekking


8 comentários

Deixe sua opinião
  1. Carol Emboava
    Carol Emboava 22 julho, 2010, 09:19

    Só perrengueeeee, hahahaha! Na hora da volta do Cristal foi uma droga, mas agora que passou já ficou legal, rs!

    Essa vamos voltar pra fazer direito!!!

    Responda este comentário
  2. fernando barros
    fernando barros 12 Maio, 2014, 11:59

    Prezado, tenho 2 perguntas: tempo aproximado entre o Calçado e o Cristal? tempo estimado retornando do Cristal pelo mesmo local da ida até o Terreirão? Grato.

    Responda este comentário
  3. Bruno Vinícius Banhuk
    Bruno Vinícius Banhuk 11 Maio, 2015, 15:49

    Prezado, tenho 2 perguntas: tempo aproximado entre o Calçado e o Cristal? tempo estimado retornando do Cristal pelo mesmo local da ida até o Terreirão? Grato.

    Responda este comentário
    • Mario Nery
      Mario Nery 11 Maio, 2015, 16:03

      Ixi, não tenho estas informações exatas Bruno, pois paramos para fotos, vídeos, almoço, etc. E além disso não somos de fazer a coisa para ir rápido, mas para aproveitar. Fizemos tudo em um dia com folga, saindo de madrugada para pegarmos o nascer do sol no Bandeira. As distâncias são curtas e o terreno é fácil de atravessar entre os pontos que você citou, fora a chegada no Cristal e a saída do calçado que exigem um pouco mais de atenção e cuidado. Chutando, acho que entre o calçado e o Cristal você deve caminhar cerca de 2h e 30min no máximo. Já a descida do Cistal até o Terreirão deve dar coisa de 1h ou 1h e 30min. Abraços.

      Responda este comentário
      • Bruno Vinícius Banhuk
        Bruno Vinícius Banhuk 11 Maio, 2015, 16:08

        Obrigado pelas dicas, estamos indo mas temos somente 2 dias, queremos atacar o cume do Bandeira as 02:30, e fazer o Calçado e o Cristal, porém temos que sair do parque até as 18:00 (horario de funcionamento), pois vamos seguir viagem para a Serra dos Orgãos durante a noite.

        Responda este comentário
        • Mario Nery
          Mario Nery 11 Maio, 2015, 16:18

          Se o pessoal andar bem eu não vejo muito problema. Vocês estarão com carro esperando no Tronqueira? Se for é mais tranquilo ainda. Boa trip!

          Responda este comentário
          • Bruno Vinícius Banhuk
            Bruno Vinícius Banhuk 11 Maio, 2015, 16:24

            Obrigado novamente, e parabéns pelo artigo, dicas muito uteis! Parabéns!

Deixe a sua opinião